5 Sinais de que você pode estar se autossabotando e não sabe

A autossabotagem é um processo silencioso e sorrateiro que pode ocorrer com qualquer mortal e se manifesta através de pequenos hábitos cotidianos que nem sempre percebemos simplesmente porque nos mantém “protegidos, acolhidos e muito bem guarnecidos” em nossa zona de conforto, isso tudo sem considerar o celular, a TV a cabo, a rede wi-fi e a netflix para acompanhar as melhores séries do momento, mas como saber que estamos desenvolvendo hábitos prejudiciais para o nosso autodesenvolvimento? Identifique os seguintes comportamentos:

01 – Carrego um medo inconsciente: Ter medo é perfeitamente natural e acredite, é saudável, no entanto, quando ele nos paralisa e nos impede de dar o próximo passo, de ir em busca dos nossos maiores objetivos, ele é demasiado prejudicial. A coisa fica pior quando tentamos vencê-lo, pois é uma luta em vão, do tipo que, quanto mais se combate, mais ele cresce, a questão é que, pasme, mas tememos muito mais o sucesso do que o fracasso, que obviamente ninguém quer, pois junto com ele, normalmente vem o julgamento alheio e a rejeição. Até aqui, tudo bem, mas daí a temer o sucesso? É isso mesmo! Na realidade as pessoas têm medo é da responsabilidade que vem junto com todo esse sucesso, há quem diga que chegar lá, não é difícil, manter-se lá é a questão. E isso, sem falar da concepção equivocada que temos do sucesso apenas relacionando-o às coisas boas da vida. Portanto, se ligue, está com medo de crescer? Esse é um sinal claro de autossabotagem.

02 – Duvido da minha capacidade: Todos dispomos de um talento que nos foi concedido e que de alguma forma desenvolvemos ao longo da vida. Esse talento normalmente se manifesta desde a nossa infância, aquilo que muitos chamam de “dom”, que por sua vez, vem de “chamado”, ou seja, é aquilo que você faz de melhor, sem precisar de um esforço descomunal para atende-lo. Você sabe que o tem, quando executa facilmente uma atividade que os outros demandariam um esforço extraordinário para cumpri-la e ainda assim, com algum prejuízo da qualidade. No entanto, quando coloco em check essa minha incomum capacidade de realizar algo, eu estou sorrateiramente me sabotando, pois vou me colocando em uma redoma buscando me isolar das reprovações, das críticas, da exposição e do desprezo das pessoas que, ironicamente, no geral, jamais realizaram nada que não fosse criticar duramente ou tripudiar do fracasso de quem tenta construir algo de valor.

03 – Me anulo para agradar os outros: Muitas vezes deixo de ser quem eu realmente sou para simplesmente ser aceito por alguém ou por um grupo de pessoas, deixando de expor minha opinião, defender determinado ponto de vista, sugerir ou até mesmo fazer minhas próprias escolhas necessitando, quase sempre, recorrer à opinião alheia para tomar minhas próprias decisões. Chega a ser cruel e desumano, mas tem muita gente sofrendo desse mal e com isso, sujeitam-se à manipulação, abafando assim, o seu imenso poder de realização e vivendo estagnado e à sombra de alguém. Ninguém merece! Se você está nessa, acorde e saia dessa armadilha enquanto é tempo. Lembre-se: As pessoas irão gostar de você e admirá-lo pelo que você é e não pelo que aparenta ser. É bem provável que, ao se libertar, muitos se afastem de você e até lhe deem as costas, mas saiba que estão ao seu lado apenas enquanto você for conveniente aos seus interesses. Portanto, comece a interessar-se mais pelos seus próprios e vá à luta! Alguns se vão, outros melhores chegam, se for bom, deixe que fique, se não, permita que se vá. Assim é a vida!

04 – Alimento-me de coisas inadequadas: Não é novidade o que sempre digo que, fatalmente nos tornamos aquilo que comemos, depois não adianta se queixar na frente do espelho, principalmente se você não faz nada para mudar. Essa regra vale para tudo, desde o campo das ideias até a arrumação da sua bolsa, pois é, se você ocupa muito o seu tempo assistindo programas trágicos e sensacionalistas há uma enorme possibilidade de você se tornar neurótico a ponto de viver sobressaltado, o mesmo vale para seus hábitos pessoais, sua bagunça externa reflete a interna, normalmente no campo das emoções e pensamentos. Pode não parecer, mas essa bagunça nos fragiliza, desorienta, atrasa e desanima, então organize-se!

05 – Mantenho-me em relacionamentos tóxicos: Insistir ou sofrer por uma relação sofrida e desgastada é uma perda de tempo, salvo em um casamento, porque família é sagrada e enquanto restar alguma possibilidade é importante investir tempo nesse resgate. Agora, para todas as demais, é pura perda de tempo, afinal, dificilmente o conduzirão a um nível mais elevado de desenvolvimento pessoal, pelo contrário, sugam a sua energia feito sangessugas. Seja mais reservado, reconheça-os e, na medida do possível, mantenha distância!

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Sobre o Autor

Nelson Vieira, sou Advanced Coach Senior e Master Coach Trainer, certificado por diversas instituições internacionais ao redor do mundo, tendo formado aproximadamente 5 mil coaches pelo Brasil. Para conhecer mais acesse: www.nelsonvieira.com.br

Deixe um comentário 0 comentários

Deixe um comentário:







Scroll Up