O coaching como recurso estratégico de liderança

Coaching é um processo de aceleração de resultados e como tal, é um instrumento indispensável ao processo organizacional, sobretudo para as lideranças, que precisam constantemente lançar mão de um recurso para a obtenção de resultados positivos para a Empresa.

Neste sentido, dentre os vários métodos e ferramentas disponíveis atualmente, encontra-se o coaching, que pode ser entendido como uma versão mais moderna e original do empowerment, no caso da liderança propriamente dita, já que propicia ao indivíduo descobrir e acessar o que há de melhor em si, através de perguntas assertivas que o levem a pensar de uma forma que sozinho ele não pensaria, de modo a assumir as responsabilidades pelos seus erros e acertos, fracassos e sucessos, atitude ou a ausência dela. Pois é natural que muitas pessoas, para aliviar a sua “carga”, responsabilize a tudo e a todos principalmente no que diz respeito aos seus piores resultados.

Liderança, segundo James C. Hunter “é a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum”, ou seja, desenvolver o propósito em um grupo de pessoas despertando o sentido de equipe para a obtenção de um resultado específico.

Seguindo essa mesma linha, Allan Cohen, diretor de empreendedorismo corporativo do Babson College afirma que o líder é o “responsável pelas decisões, no topo de alguma unidade de negócios da organização, cujo trabalho é criar as condições para que as outras pessoas sejam eficazes”. Neste sentido, o coaching aparece como uma ferramenta estratégica sem precedentes principalmente porque vem a romper com os velhos padrões de liderança tradicional que se baseiam fundamentalmente no exercício do poder do cargo, onde:

  • Utiliza-se da posição ou força para conseguir seus objetivos;
  • Persiste a faculdade de forçar ou coagir alguém de fazer as coisas segundo a vontade de quem está no poder;
  • Adota como lema: “manda quem pode obedece quem tem juízo”;

O coaching dentro das organizações pode ser exercido de maneira formal ou informal:

O coaching formal funciona muito bem quando se trata de desenvolver um processo para alcançar um objetivo, sendo neste caso, mais prudente contratar um coach externo, que seja neutro e imparcial para atender no âmbito da empresa, pois há uma relação de ética e confidencialidade implicada, o que fica comprometido, sobretudo quando há a relação de subordinação, tornando mais difícil abordar certas questões que possam incomodar o coachee prejudicando dessa maneira a relação de confiança e parceria, fundamentais no processo de coaching.

O coaching informal é o modelo mais indicado para a atuação do líder coach, que consiste em desenvolver uma cultura de coaching, realizando intervenções no dia-a-dia da empresa individualmente ou em grupos por meio de perguntas que conduzam os colaboradores a entrarem em ação para que estes atinjam os resultados propostos pela empresa sem que necessariamente sejam formalmente convidados para participarem do processo.

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Sobre o Autor

Deixe um comentário 0 comentários

Deixe um comentário:







Scroll Up