Você trabalha em equipe? Tire suas próprias conclusões

É interessante como ainda hoje muitas pessoas têm dúvidas a respeito do seu modelo de trabalho e muitas vezes desconhece, mesmo o líder, se conseguiu formar uma equipe, com isso equívocos acontecem, muitos metem os pés pelas mãos e fazem operações tapa-buraco com as contratações, no entanto, essa prática pode ser muito mais danosa do que se imagina e prejudicial para o caixa da empresa porque o pessoal muitas vezes trabalha batendo cabeça, não há um processo definido para saber onde termina o seu trabalho e começa o do outro e com isso o custo intangível do retrabalho e problemas de ordem operacional só desgastam a empresa, enfraquecem a competitividade, minam o ambiente e o clima organizacional e depois ainda tem que lidar com o custo dos afastamentos e atestados médicos por doenças ocupacionais. Então, é interessante compreender o seguinte:

Grupo é um conjunto de pessoas com objetivos particulares, em geral se reúnem por afinidades, normalmente interagem para compartilhar informações. Por exemplo: Um grupo de pessoas que curte cinema, desses, existem vários subgrupos, como os que curtem drama, outros que curtem comédia, outros suspense e outros thriller. Todos são pequenos grupos que, dada a sua origem, não tem condições para se engajar em um trabalho coletivo que requeira um esforço conjunto a menos que se avalie as competências e habilidades de cada um.

Equipe é um conjunto de pessoas trabalhando juntas atuando no cumprimento de metas específicas para alcançar um objetivo comum. Por exemplo: A Seleção Brasileira de Futebol que é formada por profissionais com características e competências individuais diferentes entre si, como: O goleiro, os zagueiros, os laterias, os meias e os atacantes que, uma vez integradas, resultam em um nível máximo de desempenho em prol de um objetivo comum: A taça do mundo! Cada um, teoricamente, sabe onde começa e termina o seu ofício e todos contribuem para o sucesso do time.

Para ficar mais claro ainda, confira aqui algumas características de uma equipe:

• Considera as competências individuais necessárias para o desenvolvimento das atividades, existem pelo menos quatro perfis básicos, de acordo com o modelo DISC: O dominante, o influente, o estável e o analítico, você sabe qual é o seu? Saiba mais acessando aqui: http://cibracoaching.com.br/cibrasystem/

• Deve haver respeito aos princípios da equipe que é constituída de regras e lógico, cada membro, por serem diferentes entre si, pelo menos em termos de competências, têm funções específicas a desempenhar e devem passar a bola redondinha para o colega para não prejudicar o coletivo; portanto,

• Reconhece a interdependência entre seus membros no atingimento dos resultados da equipe, um complementa o outro, um ajuda o outro, um vibra com o outro;

• Procura favorecer ainda os resultados das outras equipes para que o objetivo final seja alcançado, nada daquela velha ideia do “cabô banhô”, pelo contrário, uma equipe terminou a sua parte, oferece auxílio para as demais que estiverem em dificuldade, o nome disso é time! Há momentos em que até o atacante tem que voltar para ajudar na defesa, não é mesmo? Você faz isso no seu trabalho?

Importância do Trabalho em equipe para as empresas:

• Possibilita a troca de conhecimento dada a sua diversidade, pois eu não canso de afirmar que é ela que enriquece a individualidade;

• Permite dar e receber afeição, aceitação e sentimento de importância a cada membro, uma vez que há a entrega, a dedicação e a arte da celebração quando o resultado é obtido, como os atletas que comemoram a cada gol e a cada vitória conquistada em um campeonato, pois são elas que o levarão ao título;

• Auxilia no desenvolvimento profissional já que ensina a definir prioridades, ajustar metas, propor e estar aberto a mudanças;

E para os colaboradores:

• Estimula a criatividade, já que o trabalho em equipe possibilita a produção de novas ideias acerca de um trabalho, um produto ou mesmo de um processo produtivo;

• Exercita a participação por meio do questionamento de posições e colocações, o que lava a um desenvolvimento profissional substancial, é onde os talentos vêm à tona e as habilidades naturais se sobressaem;

• Desenvolve o senso-crítico, requisito muito importante, pois nem todas as posições serão acatadas por algum motivo, às vezes, não se trata nem de ser uma má ideia, mas talvez, outra seja mais propícia para o cenário presente, portanto, nada de “beicinho triste”por isso;

• Gera uma visão de futuro acerca dos resultados a serem alcançados em cada profissional que compõe o time, o que torna o jogo mais interessante uma vez que se desenvolve o senso de propósito em cada membro.

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Sobre o Autor

Nelson Vieira, sou Advanced Coach Senior e Master Coach Trainer, certificado por diversas instituições internacionais ao redor do mundo, tendo formado aproximadamente 5 mil coaches pelo Brasil. Para conhecer mais acesse: www.nelsonvieira.com.br

Deixe um comentário 0 comentários

Deixe um comentário:







Scroll Up