Não confunda: coaching e terapia são práticas bem diferentes

Esta semana veio à tona uma discussão a respeito da prática de coaching e do psicólogo, em virtude da novela global: O outro lado do paraíso, que evidencia uma suposta prática terapêutica utilizando-se recursos de hipnose para tratar um trauma vivido por uma personagem. Isso nos leva a refletir sobre do papel de cada profissional bem como a sua importância para lidar em determinadas situações. Por ser psicólogo clínico por formação e advanced master coach trainer com anos de prática nas duas funções, hoje consigo distinguir claramente uma da outra, mas nem sempre foi assim. Para compreender as principais diferenças entre as duas abordagens, vamos primeiro compreender cada uma:

Coaching, tem o propósito de levar o indivíduo do estado atual para o estado desejado no menor espaço de tempo possível, a atuação deste profissional concentra-se no momento presente com foco no futuro, o coaching acontece na caminhada ao minimizar as possíveis fontes de interferência internas e/ou externas do indivíduo que possam atrapalha-lo ou mesmo impedi-lo de alcançar um objetivo.

No processo de coaching, o profissional não infere ou direciona o cliente para fazer algo, mas, através de perguntas assertivas, ele é capaz de levar o cliente a uma tomada de consciência para que este possa fazer as suas melhores escolhas e responsabilizar-se pelos seus resultados. O coach só apoia o cliente na sua decisão e o estimula a definir metas e entrar em ação gerando um ambiente propício para o aprendizado e melhoria contínuos e, lógico, ele (o coach) deve ser hábil o suficiente para criar indicadores que o possibilitem acompanhar sistematicamente a performance e os resultados do cliente de maneira a saber se este está aproximando-se ou afastando-se dos seus resultados. Mas, em que situações as pessoas devem procurar um coach?

Para melhoria de performance: Quando o foco é no cargo e na atuação efetiva das demandas do cliente, visando uma plena expressão de sua força profissional como seu relacionamento com a equipe e sua produtividade.

Para desenvolver competências e habilidades: Foca em tarefas específicas da rotina do cliente, fortalecendo competências agora para que o mesmo esteja pronto na hora de assumir novas responsabilidades, como fazer uma apresentação ou mediar uma negociação, por exemplo.

Para o crescimento pessoal: Foca no desenvolvimento mais integral do cliente, sua visão de futuro e um olhar estratégico sobre sua carreira e a sua vida como um todo alinhando estratégias com o seu critério de valores para que o mesmo venha a tomar melhores decisões e seja muito mais feliz e próspero.

Terapia, por sua vez, tem o propósito de aliviar as dores físicas e emocionais do indivíduo por meio de várias vertentes que vão desde as abordagens psicológicas, passando pelas terapias holísticas até atingir as físicas e emocionais, frequentemente tem seu foco voltado para questões do passado que prejudicam, de alguma forma, o indivíduo no momento presente.

Neste sentido, transtornos emocionais como ansiedade, depressão ou mesmo patologias clínicas, sobretudo as mais severas, como traumas, delírios, fobias, independentemente de quais sejam, assim como doenças neuropsíquicas como demências e alzheimer são de competência do psiquiatra e do psicólogo, sendo portanto muito sério, uma vez que pode envolver o uso de medicamentos (receitado exclusivamente por um médico psiquiatra) e de acompanhamento psicoterápico, realizado exclusivamente pelo psicólogo.

Importante deixar claro, que a psicoterapia não existe exclusivamente para tratar de doenças ou transtornos, mas pode e deve ser estimulada, a sua prática de maneira preventiva, como uma válvula de escape, uma faxina no cérebro para eliminar possíveis emoções tóxicas que possam vir a lhe atrapalhar no futuro. Assim como a prática de exercícios físicos, é importante para o corpo, a leitura é fundamental para a mente, assim como uma prática espiritual, ligada a algum tipo de religiosidade ou não, são importantes para o espírito, não se pode negligenciar as emoções, pois elas poderão levá-lo a uma estagnação ou ao seu nível potencial máximo.

Espero ter esclarecido um pouco mais acerca das peculiaridades existentes entre as duas práticas: Coaching e terapia, as quais eu amo e vivo plenamente, mas fica a dica: não entregue o seu futuro e a sua vida nas mãos de qualquer aventureiro, procure profissionais com experiência comprovada, com sólida formação e com um histórico de atendimentos, mesmo que supervisionados. Conte conosco! Faça parte da nossa próxima turma de formação em Belém no período de 15 a 18/02/2018, nos vemos por lá!

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Poderosas diretrizes do coaching para a vida!

Mais do que uma prática cotidiana para melhorar a performance pessoal das pessoas que se submetem a um processo, o coaching agrega, acima de tudo, infinitas possibilidades para se obter resultados mais significativos na vida, vejamos alguns:

1- Princípio: Que tal levar a vida de maneira mais leve, isso não faz de você uma pessoa descompromissada ou irresponsável, tampouco o fará desapegar-se de suas convicções, portanto, que tal suspender todo tipo de julgamento em relação ao outro? Assegurar o sigilo e confidencialidade de tudo o que lhe é revelado em segredo? E, por fim, fazer o que é certo e não se limitar ao que é fácil, simplesmente;

2- Projeto pessoal: Quer realizar coisas realmente grandes? Defina os passos que você terá que dar até chegar lá. Estabeleça um objetivo e um plano consistente e muito bem desenhado e trabalhe uma coisa de cada vez. Dê um passo após o outro, não se incomode com o seu tamanho, tem muita gente que é grande no tamanho, mas a gestão é de boteco e por outro lado, tem gente pequena na estrutura, mas com processos muito melhor estruturados do que muitas corporações, portanto, tenha os outros apenas como referência e nunca como parâmetro, jamais se compare a ninguém a não ser com você mesmo.

3- Foco: É humanamente impossível falar em resultados sem abordar uma atenção especial à questão do foco, desse modo, entenda que, para atingir os seus objetivos, sejam em que âmbitos forem, é importantissimo saber dizer não para tudo o que te desvia do foco e dispersa a sua atenção.

4- Garra: Não confunda, garra com truculência, com violência gratuita, com uma comunicação agressiva e inibidora, tampouco, com trabalhar “incansavelmente”, sem folga por toda a sua vida, sacrificando os melhores momentos ao lado daqueles que você mais ama, tá certo, por um curto período de tempo eu até concordo, se for necessário, tem que ir lá e fazer mesmo. Agora, compreenda que garra consiste em fazer apesar de …. (apesar das condições adversas; da falta de estrutura; da pouca luminosidade e climatização; do cansaço), enfim;

5- Resiliência: Errou? Paciência, retire um aprendizado disso e defina uma estratégia para o próximo passo: O que você pode fazer diferente para ter um resultado melhor da próxima vez? Ficar apenas se lamentando não o levará a nenhum lugar e ainda agravará a situação do ponto onde você está.

6- Vontade: Se você é do tipo que arruma uma desculpa para tudo aquilo que você não fez e quando se propõe realizar algo ainda diz que vai tentar, você é um sério candidato a se tornar um “looser” (perdedor), ou seja, o seu desejo de vencer deve sobrepor-se a qualquer justificativa, por mais consistente e fundamentada que seja, pois entenda, cada desculpa serve apenas para amenizar a culpa por não ter realizado algo que era importante.

7- Consistência: Conheço muitas pessoas que abraçam vários projetos de uma vez, se dedicam (um pouquinho) a todos, mas não têm efetividade, uma vez que encontram a maior dificuldade para concluir a grande maioria deles. A sensação é de que se trabalhou muito, se dedicou bastante, e de fato, dedicou-se mesmo, mas então porque o desânimo e o cansaço (físico e mental)? Simples, por que não há resultados factíveis, é como se a pessoa trabalhasse o tempo inteiro enxugando o gelo.

8- Produtividade: Você acha que o tempo é muito longo para realizar algo em sua vida, por isso você nem começa? Entenda que o tempo vai passar de qualquer maneira, por exemplo: Deixar de fazer um curso qualquer, como o de direito, por exemplo, só por que ele dura 5 anos, só que esse tempo vai passar de qualquer jeito, com você cursando ou não, portanto, o que faz a diferença é a decisão que você escolhe tomar hoje e nem é preciso de coaching para prever o que vai acontecer em função da sua decisão: Depois de cinco anos você poderá ter se formado em direito ou amargar o arrependimento por não ter decidido lutar pelo seu sonho cinco anos antes. Então decida hoje o futuro que você quer para você daqui por diante.

9- Desafie-se: Existem muitas barreiras e todo tipo de obstáculos em sua caminhada? Certo, nada é fácil, aliás, o que vem fácil vai fácil e não é nem um pouco valorizado, portanto, as dificuldades nos tornam mais fortes e nos enchem de autoconfiança, já que percebemos que somos mais fortes do que pensavamos a cada fase superada, desse modo, desafie-se a cada instante. Faz bem para a mente, para o corpo, para o espírito e para o bolso.

10- Vida: Como diriam os grande educadores como Piaget e Vigotsky: “As frustrações são importantes e necessárias para o desenvolvimento psico-social do indivíduo”, assim, é fundamental saber lidar com as decepções, crises, perdas e frustrações, reconheço que não é nada fácil, no entanto, é a única maneira de preparar-se para uma vida com sabedoria, humanidade, plena e feliz! Bem vindo à vida!

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Coaching: Um importante recurso para despertar talentos e desenvolver competências pessoais e profissionais

Liderança pode ser entendida de acordo com James C. Hunter como a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum.

E pode ser entendida também como sendo alguém que é responsável pelas decisões, no topo de alguma unidade de negócios da organização, cujo trabalho é criar as condições para que as outras pessoas sejam eficazes de acordo com Allan Cohen.

Quando falamos de coaching, nos referimos a um processo que se utiliza de técnicas, ferramentas e métodos específicos, cientificamente testados e de eficácia comprovada que têm por objetivo ajudar pessoas e organizações a alcançarem seus objetivos e serem felizes.

O processo de coaching se dá através de sessões abertas, positivas e desafiantes nas quais se define um objetivo e se traça um plano de ação para alcançá-lo com o auxílio do coach, que atua em parceria com o coachee, como uma espécie de “cérebro auxiliar” que o ajuda a pensar de uma forma que sozinho ele não pensaria e o leva a encontrar opções das quais não dispunha para alcançá-los ou mesmo para resolver problemas aparentemente insolúveis.

Logo, o coaching se caracteriza por potencializar o talento e trazer à tona a responsabilidade do coachee pelos resultados alcançados resgatando o que as pessoas têm de melhor: O seu talento! Portanto, levamos o coachee a explorar o seu potencial, desafiando-se na medida exata. Para tanto, o levamos a desenvolver um conjunto de comportamentos e atitudes baseados em crenças e valores próprios, que dão o norte para o alcance dos objetivos. Desse modo, é muito importante estabelecer a harmonia do “EU interior com o EU exterior”.

Assim, vale ressaltar que, antes de nos comunicarmos com o meio, é preciso aprendermos a nos comunicar conosco, pois tudo aquilo que pensamos, dizemos e agimos afeta diretamente a nossa performance pessoal e profissional em todos os níveis, portanto, se for uma comunicação depreciativa, irá gerar, dentro de nós, conflitos e incongruências, que minam a nossa garra e motivação, o que nos leva a apresentar como únicos resultados, “o caos” e o não alcance de metas e objetivos pessoais e profissionais.

A boa notícia é que, de forma planejada é perfeitamente possível definir metas e objetivos bem específicos que assegurem resultados positivos para si, para a equipe, para a empresa, para a família e para todos aqueles com quem mais se importa.

O diferencial neste processo é que o coach não ensina ou aconselha o coachee acerca do que deve ou não ser feito, ele apenas gerencia uma conversa que o coachee estabelece com ele mesmo, levando-o a responsabilizar-se pelas próprias escolhas.

Para que haja um processo de coaching é preciso definir um foco (objetivo) para o qual se elabora um plano e o coachee é estimulado a entrar em ação comprometendo-se com os prazos para atingir os seus resultados, que por sua vez é avaliado e se verifica a aprendizagem do coachee, por meio de um acompanhamento sistemático, levando-o a evoluir continuamente para atingir os resultados, afinal, é importante compreender que, no processo de coaching, não se alimenta a ideia de fracasso, apenas de aprendizagem. Desse modo, se o coachee entrou em ação e não deu certo, o coach reconhece o seu esforço e verifica o aprendizado, mas se por outro lado, deu certo, questiona o que pode ser melhorado a partir daquela ação para se obter resultados ainda mais eficazes e duradouros.

Como se vê, o coaching se caracteriza por potencializar o talento e trazer à tona a responsabilidade do coachee pelos resultados alcançados resgatando o que as pessoas têm de melhor: O seu talento!

Gostou do tema? Passou por alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Menos ansiedade, mais vida por favor!

Nos últimos dias tenho conversado com muitas pessoas que tentam há anos passar na prova da OAB, outras que gostariam de uma simples recolocação no mercado de trabalho, mas não sabe o que acontece que na hora da entrevista não conseguem responder nada e outros ainda, um caso de saúde mesmo, motivo pelo qual fui chamado em uma grande estatal para ajudar alguns funcionários super-endividados a controlarem as suas finanças e se reintegrarem socialmente com uma vida mais saudável, afinal, muitos desenvolveram o hábito de consumir compulsivamente, e esse descontrole os leva a ruína sócio-financeira e familiar. Mas, o que tem em comum todos esses casos?

– Simples, todos eles apresentam transtornos, em maior ou menor grau, de ansiedade, seja pelas cobranças externas ou pelos seus desejos e anseios pessoais que, uma vez não alcançados, na primeira, na segunda ou terceira tentativas, vão se somando a outras frustrações e gerando dúvidas quanto ao futuro, levando-os, muitas vezes a pensarem em como gostariam de estar ao invés de viverem o aqui-e-agora, com isso, acabam de comparando aos demais, e quase invariavelmente acham que “a grama do vizinho é sempre mais bela e verdinha que a sua”.

A ansiedade, quando não controlada, pode prejudicá-lo em diversos aspectos da sua vida, pois, o leva a perder a concentração, afeta a criatividade e o bom humor, gera uma hiperatividade, levando-o a fazer várias atividades ao mesmo tempo, talvez só para se manterem ocupados, mas são ações descoordenadas, desconexas e imprecisas. Como os resultados não aparecem, vêm as cobranças, é aí que o sujeito entra em colapso, sofrendo uma arritmia, um infarto, uma fobia, uma insônia ou o burnout. Se você já chegou a esse ponto, o bicho tá pegando meu amigo, se ainda não, não espere chegar, portanto, como reconhecer, prevenir e controlar a sua ansiedade? “Hashtag fica a dica”:

1- Aprecie o silêncio da solidão: não se trata de ficar isolado ou de ser rejeitado pelos demais, isso seria triste e frustrante. Aqui, neste caso, me refiro à escolha pessoal de ficar sozinho, que é, inclusive, sinônimo de felicidade, pois é nesses momentos que apuramos os nossos sentidos e contemplamos o “barulho do silêncio”. Aprecie mais momentos em silêncio contemplativo!

2- Promova uma pausa: Experimente fazer uma pequena pausa de 3 a 5 minutos entre uma atividade e outra, feche os olhos, e respire, se gostar e quiser lançar mão de uma playlist própria para relaxamento, ou com sons de natureza, também são excepcionais para recarregar as baterias e ativar o seu nível de concentração relaxada antes de partir para a próxima atividade.

3- Descentralize: Se você é do tipo demasiado controlador e faz questão de centralizar tudo em você, saiba que você é um sério candidato a furar a fila daqueles que sofrem infartos fulminantes. Assim, mais vale ocupar o seu tempo treinando e preparando a sua equipe para fazer o que precisa ser feito, do que ficar controlando cada atitude de cada subordinado, empregado ou colega de trabalho. Assim, você tira o “piano das costas” e compartilha o peso da responsabilidade pelos resultados com a equipe. Portanto, prepare-a e confie mais e, use o tempo que sobrar para investir em uma atividade relaxante ou que lhe proporcione mais prazer e bem estar.

4- Pense e faça uma coisa de cada vez: Fazer inúmeras atividades simultaneamente só agravam a ansiedade, bem como aqueles diversos pensamentos atrapalhados como se fossem aqueles sonhos confusos que temos durante a noite, se isto estiver ocorrendo, faça o seguinte: Coloque folhas em branco em cima da mesa (neste caso prefiro aos arquivos no computador), tantas quantas forem as suas atividades ou pensamentos, por exemplo: Se estiver pensando em três coisas diferentes, ponha três folhas em branco sobre a mesa; dê nome a cada atividade e escreva-o como título em cada folha e, enquanto eu realizo alguma atividade, não importa qual seja, na medida em que vão vindo os pensamentos relativos a um determinado assunto, eu anoto em uma lista respectiva, quando eu menos espero, tenho três listas repletas de atividades para fazer e concluir um determinado (ou mais) projeto(s). Mas lembre-se: Faça uma coisa de cada vez iniciando-as e concluindo-as. Isso vale também, para organizar as matérias que está estudando, uma de cada vez;

5- Estimule a sua criatividade: pesquisas revelam que a melhor maneira para desbloquear o campo das ideias é buscando ambientes estimulantes, óbvio, de acordo com a sua personalidade, pois é nele que você se expressa livremente e observa as coisas com outros olhos, nem que seja o ócio. Portanto, lembre-se que você tem duas opões: Ou você se torna um mero reprodutor de ideias preconcebidas, limitando-se apenas seguindo o fluxo, ou você cria um caminho totalmente diverso e se torna um precursor a pronto de revolucionar o rumo das coisas, mas uma coisa é certa, a grande, verdadeira e genuína inspiração não vêem para mentes cansadas e estressadas, portanto, permita-se desocupar, isole-se das redes sociais, deixe um pouco a tecnologia e divirta-se!

Gostou do tema? Passou por alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Como o coaching pode ser útil no varejo

Hoje vou compartilhar uma intervenção que fiz com uma empresária do setor de varejo no ramo de confecções femininas que relata uma questão meio tensa ocorrida em seu estabelecimento comercial ao longo desta semana.

COACH: – Olá, tudo bem? E a nova loja, como está indo?
LOJISTA: – Meio difícil … tive dois prejuízos enormes só este mês…

COACH: – O que houve?

LOJISTA: – Então, quem toma conta da minha loja é uma pessoa de hiper-mega confiança, porém, por falta de atenção, ela passou uma peça por engano com o valor de apenas 5,00, quando o valor era 100 vezes mais e outra foi subtraída da loja, na verdade, nesse ponto, acho que negligenciei porque não instalei câmeras e nem coloquei segurança nem nada.

COACH: – Tem como contactar pelo menos a pessoa que passou o cartão?

LOJISTA: – Pior que não, até porque tenho quase certeza que ela viu o valor, já que o comprovante vai direto para o celular da pessoa, então, acho que tem um pouquinho de má fé também … e o celular não fica registrado na máquina de cartão, vou tentar com a operadora de cartão para ver se me informam, mas não é nada certo, melhor mesmo eu me conformar e assumir de uma vez o prejuízo.

COACH: – Ué, pode ser que o telefone não informem, mas os dados do titular do cartão em que foi feita a compra sim, não é mesmo?

LOJISTA: – É possível, mas aí é outro trabalho, através desses dados, ir atrás da pessoa para tentar recuperar … melhor dar por perdido mesmo…

COACH: – Que isso? Para cima, não custa tentar, concorda?
LOJISTA: – É muito difícil às vezes… a gente faz tudo para dar certo… e acontecem coisas para dificultar mesmo…

COACH: – Mas você há de convir que mesmo pessoas muito experientes passam por isso não é mesmo? A questão é saber como lidamos com isso. Sendo assim, me diga: O que você aprendeu com essas duas experiências e o que você pode fazer diferente para ter um resultado melhor?

LOJISTA: – Na verdade, acho que cometi vários erros, tipo: Falta de segurança, câmeras, uma vendedora experiente, mas estava ciente dessas faltas porque tenho pouco tempo para resolver coisas da loja e sei que precisava também de mais investimento, na verdade, acho que abri muito prematuramente.

COACH: – [pensando] hum, mas o fato é que abriu, e agora, o que fazer?

LOJISTA: – Tentar ir melhorando, certo?

COACH: – Certinho! E qual o primeiro passo?

LOJISTA: – [triste] Não sei!

COACH: – Ora, vamos lá, aconteceu o que aconteceu …. que melhorias podem ser adotadas para evitar (ou prevenir) situações como essas? Qual a primeira medida?

LOJISTA: – Bem, o ideal seria ter mais uma pessoa na loja, mas não tenho como contratar no momento e também não tenho como ficar indo lá direto, por enquanto, então, posso fazer o seguinte:

1) Criar um cadastro de clientes;

2) Fazer um treinamento com essa pessoa que hoje toma conta da loja, já que é de minha inteira confiança;

3) Também vou agilizar os cartões fidelidade da loja;

COACH: Muito bem, valeu a pena conversar comigo? Por que?

LOJISTA: Nossa, só valeu! Até por que eu já vinha pensando nessas coisas, mas fiquei com isso na cabeça, com a nossa conversa eu tomei consciência da necessidade e passei a ter a certeza de que eu realmente tenho que fazer isso o quanto antes.

Foco, você tem um?

– Qual é o seu foco?

– Ser presidente da república, ou, ser um astro de cinema em Hollywood, ou ser milionário, ou ainda, ser ministro do Supremo Tribunal Federal (essa é a mais nova onda do momento), enfim.

Por incrível que pareça, as pessoas continuam fazendo confusão entre o que seria apenas um sonho (uma fantasia), um objetivo e o que seria foco, por esse motivo, vamos começar a desmistificar essa questão de uma vez por todas.

Um sonho (uma fantasia):

É algo que desejamos muito, em alguns casos, surreal, por isso chamo também de fantasia. Isso não é ruim, em hipótese alguma, pelo contrário, pode ser até bem positivo, desde que a energia seja toda canalizada para a concretização deste sonho, mas o que vejo é exatamente o contrário, muitas pessoas perdidas em meio a seus devaneios e sonhos grandiosos, mas sentadas no sofá manuseando o controle remoto da televisão e curtindo a famigerada síndrome do “e se…”: – Ah, se eu tivesse grana! – Ah, se eu tivesse tido essa oportunidade; – Ah, se eu tivesse no lugar desse cara, e por aí vai. Isso é não apenas perigoso, mas pernicioso, capaz de contaminar, com explicações vazias e justificativas furadas, todas as áreas da vida do sujeito como uma forma de responsabilizar fatores externos pelo seu fracasso, como: Os pais, familiares, a origem humilde, a região geográfica “desfavorável”, a educação precária, enfim, tudo vai ser motivo de culpa para que você não seja ninguém na vida, mas o que você fez de diferente para mudar essa realidade?

Assim, sonhar é fundamental, é importante e inspirador e quanto maior for esse sonho, melhor, desde que sirva como uma fonte de inspiração para levá-lo cada vez mais longe na vida com prosperidade, felicidade e abundância. Portanto, aproveite suas noites para sonhar e viver tudo aquilo que ainda não viveu, mas ao amanhecer, levante-se comece a correr atrás da realização desse sonho.

Objetivo:

Um sonho passa a ser um objetivo quando você o coloca no papel e começa a tangibiliza-lo, definindo etapas a serem cumpridas, metas a curto, médio e longo prazo. Aliás, isso que faz um sonho se tornar realidade: PRAZO! Muitas pessoas ainda não se atentaram que só é um objetivo realmente quando você define exatamente o que quer; o por que quer tanto realizar isto; quando quer que aconteça (prazo final); quanto vai precisar investir (tempo, energia, dinheiro) para a realização deste; e, para finalizar, é preciso definir um planejamento consistente, afinal, não dá para focar em um objetivo, tipo: “Ser o apresentador âncora do Jornal Nacional” se você ainda nem foi aprovado no vestibular e pasmem, é isso que acontece com inúmeras pessoas e consequentemente as fazem desistir dos seus projetos antes mesmo de começarem a sua luta.

Foco:

É quando você sabe exatamente onde e quando você quer chegar e você tangibiliza isso em um projeto (com objetivo e metas menores) – um passo após o outro – como abordei acima, pois um objetivo é constituído de várias ações menores que, cumpridas dentro de um espaço de tempo, o aproximarão cada vez mais do resultado final. Contudo, isso só acontecerá se você se mantiver focado no objetivo, algumas pessoas criticam os norte-americanos e os japoneses, os primeiros por serem obcecados por metas e desafios, os segundos por serem extremamente disciplinados e igualmente focados. Portanto, não adianta você querer se tornar um jornalista famoso, reconhecido e premiado do horário nobre da TV se você é volátil e, ao invés de colocar toda a sua energia para definir os passos necessários que o levarão a este objetivo, você muda a cada momento: Por exemplo: Disseram que o que está dando dinheiro agora é pizzaria, você não sabe nem como fazer uma massa, mas se mete a abrir uma pizzaria; ou então, o senhor ali da mercearia apareceu com um carro novo, logo a pessoa deduz: “Rapá, né que esse negócio de vender verdura é bom mesmo?!”, mas nunca se prestou a comprar nem um tomate na feira, quanto menos em quantidade para comercializar, quais as chances disso dar certo? Hum, pensou o mesmo que eu?!

Aceita uma dica importante para ajudá-lo a manter o foco?

Entenda que o seu cérebro se expande em função do tempo que você tem disponível, portanto, quanto mais tempo você tem de prazo, maior é a sua dispersão, assim, para ser produtivo e se divertir, defina prazos menores para cada meta relacionada ao seu objetivo maior, dessa forma, vai vencendo as etapas quase sem perceber e quando você menos esperar, no mínimo, você já se superou, e muito!

Quer se manter mais focado? Quer ser mais produtivo? Conheça estratégias inteligentes que o ajudarão a ser mais produtivo, evitando a dispersão e canalizando sua energia para a realização dos seus sonhos. Saiba mais sobre técnicas e recursos em nossa formação em coaching internacional que ocorrerá em Belém no período de 25 a 28 de janeiro (módulo I) e de 22 a 25 de fevereiro (módulo II).

Gostou do tema? Passou por alguma experiência diferente? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Coaching e felicidade: Isso também é para você!

Em se tratando de coaching, muita gente associa logo a definição de metas, planejamento, alcance de resultados e muitas vezes esquece o motivo principal pelo qual realizamos tantas coisas, pelo qual fazemos o que fazemos e da maneira como fazemos: A felicidade!

Desse modo, um processo de coaching tem por objetivo levar o indivíduo do estado atual para o desejado no menor espaço de tempo possível de maneira que ele alcance os seus resultados e seja efetivamente feliz.

Havia um tempo em que eu acreditava mesmo, e ainda compartilhava com minha audiência que bastaria alcançar um objetivo e a pessoa se faria automaticamente feliz, no entanto, interagindo com pessoas no Brasil inteiro, todas bem sucedidas, financeiramente estabilizadas, muitos já realizados em suas respectivas carreiras, percebi que não era bem assim, pois muitos alcançaram todos os objetivos traçados para si, mas ainda assim não eram felizes, pelo contrário, alimentavam um vazio, um silêncio interno, uma angústia, uma estranha sensação de faltar algo, só que não sabiam exatamente definir o quê.

for mais voltada para uma área, inevitavelmente vamos deixar outra descoberta, até aqui, nada demais, tudo normal, o problema é quando não conseguimos mais dedicar a devida atenção nas demais áreas desestabilizando assim todo o seu ecossistema, o que, não apenas é prejudicial à sua saúde, como também, pode afetar os seus resultados profissionais diminuindo a sua performance.

O que é felicidade?

Uma pessoa feliz é aquela que vive sorrindo alegre e expontaneamente para tudo e para todos? Lógico que não! Ser feliz consiste em aproveitar e desfrutar ao máximo e de forma equilibrada de todo o potencial despertado pelas suas emoções básicas, como: a tristeza, a alegria, a raiva, o medo e o afeto. Todos são muito bem vindos e todos são muito importantes, embora alguns gerem algum desconforto, como o medo, a tristeza e a raiva, contudo, depende de como cada pessoa canaliza essa energia para que, explorando ao máximo essas emoções, positivamente, ele construa coisas edificantes, grandiosas, genuínas e marcantes.

Qual a relação entre prosperidade e felicidade?

Isso nos leva a pensar na ideia de prosperidade, pois muitos fantasiam que só serão felizes verdadeiramente se tiverem sucesso na carreira que escolherem, se ganharem tanto dinheiro quanto forem capazes de consumir tudo o que ele puder comprar ou mesmo se tiverem acumulado um grande patrimônio, mas qual o preço disso? Importante compreender que eu não estou afirmando que essas coisas não sejam importantes, lógico que são, mas vale a dor e o arrependimento de tudo aquilo que não se viveu? Essa é a questão!

Então é possível ser feliz no trabalho?

A felicidade no trabalho não consiste em abdicar de outras coisas que sejam importantes para si, pelo contrário, mas ser capaz de se dedicar aproveitando ao máximo todo o seu potencial criativo em suas atividades profissionais em um tempo estabelecido, quando isso acontece, dizemos que o indivíduo entrou em estado de flow (fluidez) e portanto, atingiu o ápice da sua inspiração divina o que, de outra forma, seria impossível se estivesse preocupado com as contas a pagar, com o bem estar dos filhos, com conflitos conjugais, com problemas familiares, no contexto social ou de qualquer outra ordem.

Portanto, ser próspero e plenamente feliz consiste em estabelecer o máximo de equilíbrio possível entre todas as áreas da vida, de forma saudável, de maneira que a pessoa consiga desfrutar de suas conquistas junto àqueles a quem mais ama e um processo de coaching bem conduzido os leva a definirem suas metas, alcançarem os seus objetivos dentro de um espaço de tempo, só que de maneira mais equilibrada, considerando todos os aspectos da sua vida.

Gostou do tema? Quer saber mais sobre esse assunto? Queremos lhe ouvir, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Cupins do tempo, como eles corroem também a sua energia

Olá você, bem vindo a 2018 e eis que o ano mal começou e já recebi inúmeras mensagens de contagem regressiva para feriados e eventos nacionais, resumindo o calendário do ano em aproximadamente 40 dias para o carnaval, depois mais 40 para a páscoa, depois de 60 dias é a copa do mundo da Rússia, após 120 dias a eleição e 60 dias depois réveillon novamente! Como se vê, o tempo voa. Desse modo, quanto mais pudermos otimizar esse tempo, melhor, portanto, vão aí algumas dicas de verdadeiros cupins do tempo (é como eu chamo os hábitos inconscientes e nocivos que corroem o nosso tempo e a nossa energia), para que, reconhecendo-os, você possa vencer a procrastinação (talvez, seu maior adversário) e concentrar o seu tempo e sua energia no que realmente importa. Que hábitos são esses?

1- Pensar demais: Interessante, mas muitas pessoas ocupam a maior parte do seu tempo a pensar demasiadamente no passado ou então no futuro, com isso, deixam de aproveitar o que há de melhor na vida, a única coisa sob a qual temos plena certeza e sob a qual vivemos: O presente! Viver intensamente o aqui e agora, por isso, levante do sofá, deixe a TV, desligue o seu smartphone, notebook ou qualquer outra coisa que lhe impeça de viver o agora e saia para dar uma caminhada, conhecer pessoas, pegar um cineminha, ler um bom livro, apreciar uma música ou um bom papo com amigos. Planeje uma viagem a cada 3 meses e escolha um momento para ficar sozinho com você mesmo, pois esse é um momento de conexão com o seu “eu”, aquele que jamais te abandona.

2- Stalkear “amigos” nas redes sociais: Muita gente não sabe o que significa a expressão stalkear, que vem do inglês “stalker”, que significa perseguidor. Nesse caso, não precisa ser necessariamente um obsessivo por outra(s) pessoa(s), mas você já percebeu que é muito fácil perder tempo nas redes sociais vendo perfis de pessoas no face, no insta ou onde quer que seja? É um tempo preciosíssimo que você deixa de aproveitar com você mesmo para ficar olhando o perfil dos outros, isso só vai ferí-lo e trazer ainda mais insegurança, pois vai levá-lo a comparar-se com os outros e induzí-lo a achar que a vida deles é sempre melhor do que a sua, o que nem sempre é verdade, mas sobretudo, o impede de aprender algo genuínamente mais relevante que possa contribuir com o seu crescimento pessoal e profissional.

3- Assistir vídeos e séries em demasia: “The big bang theory”, “The walking dead”, “Stranger things”, “Black mirror”, “Grey’s anatomy” e “Game of thrones”: Sim, séries são bacanas, é possível que você leitor com mais de 50 anos não saiba exatamente o que citei acima, mas experimente mostrar para a galera na faixa dos 12 aos 35 para ver o que acontece. O fato é que nos últimos anos essas séries têm se tornado uma febre principalmente entre o público mais jovem, de tal maneira que eles acabam abduzidos para frente da telinha esquecendo que há vida fora do seu quarto escuro! Eles, normalmente, se teletransportam para outro planeta e procrastinam coisas que poderiam fazer com mais zelo e dedicação. Muitas vezes esse hábito afeta o seu senso de responsabilidade e o interesse por coisas cotidianas como caminhar, correr, ter uma vida social, dentre outros de tão boas que são, fato! No entanto, é bom estabelecer horários específicos para assisti-las de maneira que possa dedicar-se também a outras atividades igualmente divertidas e em muitos casos, talvez até mais importantes do que vídeos no youtube e séries.

4- Preocupação exagerada: Pessoas que vivem o tempo inteiro preocupadas com tudo, perdem um bom tempo deixando de fazer coisas realmente importantes, se por um lado, o medo nos alerta de que há sinal de perigo iminente, por outro, quando está apenas no nível da nossa mente, gera uma ansiedade que muitas vezes foge ao nosso controle e nos coloca em estado de letargia temendo coisas que só acontecem em nossa imaginação. Preocupe-se menos, aja e contemple a caminhada, pois não há nada mais cruel do que querer fazer algo e não poder por conta de nossos temores. Entenda, muitas coisas que deixamos de fazer é por causa do medo do fracasso, da rejeição, do ridículo, no entanto, você só saberá se o fizer, e, se por acaso algo der errado, saiba que tem solução e você saberá contornar.

Para combater esses hábitos, existem alguns diagnósticos que avaliam como você está desperdiçando o seu tempo e lhe ajudam com estratégias inteligentes e eficazes para evitá-los e otimizar o seu tempo canalizando energia para a realização dos seus sonhos e desejos. Saiba mais sobre técnicas e recursos em nossa formação em coaching internacional que ocorrerá em Belém no período de 25 a 28 de janeiro (módulo I) e de 22 a 25 de fevereiro (módulo II).

Gostou do tema? Passou por alguma experiência diferente? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Foi demitido? Siga essa superdica para dar início a uma boa e rápida recolocação

A perda de um emprego geralmente é traumática, há quem diga que o impacto só é menor do que perder um ente querido. De fato não é uma situação fácil para ninguém, sobretudo para quem tem família e um certo padrão de segurança, conforto e status social a sustentar, mas até aí tudo bem, você foi demitido, o que fazer agora? Vida que segue!

A primeira pergunta que vem na minha cabeça (e provavelmente na de muitos dos seus futuros entrevistadores) é a seguinte: – Por que você foi demitido? Normalmente a resposta está na ponta da lígua e muitas vezes vem antes mesmo da pergunta em si: “- Redução de quadro!”, acertei? Pah, na mosca.

Pode até ser que tenha havido uma redução de quadro mesmo, quem sou eu para duvidar da palavra de alguém, mas a questão então é: – Já que o motivo foi esse, você há de convir que poderia ser qualquer outra pessoa, concorda? Então, por que você?

Ahá, tenho certeza que por essa você não esperava, não é mesmo? É quando a pessoa faz um semblante de assustado, meio que impactado pela “grande revelação” e responde: “- Olha, foi o que me disseram! Mas pensando bem, até que você tem razão: Por que eu? Agora eu também quero saber. E confesso, na realidade fiquei muito triste, até porque eu nunca cheguei atrasado, nunca faltei, sempre cumpri as metas … enfim”. É eu sei, admito que é difícil pensar nas reais causas no momento em que ocorre, é muito mais “fácil” assumir a posição de vítima (e mais confortável também) do que pensar na sua parcela de responsabilidade para que a situação chegasse a esse ponto.

Pois bem, vamos pensar friamente: Ainda que sua demissão tenha sido motivada pela crise, a empresa não pode parar, logo, se diminui a produção, isso vai se refletir na receita e consequentemente, vai impactar no quadro de funcionários. Contudo, alguém vai ter que realizar aquela função e a empresa vai escolher o pior? Certamente não, normalmente ela utiliza o critério de conhecimento, habilidade técnica e produtividade.

Então, se haviam duas pessoas para se escolher apenas uma para aquela função, o que pode ter levado a empresa a optar pelo outro funcionário e não por você? Aí, normalmente vem outra resposta que não nos ajudará em absolutamente nada: “- Ah, também, o outro era peixe …” (e por aí vai…).

Sei que pareço um pouco duro com as palavras, mas o meu objetivo não é o de alimentar o seu luto, pelo contrário, é o de ajudá-lo a se erguer o mais rapidamente possível para que você siga com a sua caminhada rumo ao ápice da sua trajetória profissional, pela sua felicidade e a de seus familiares, sobretudo a dos seus filhos. “- Tá certo, então por onde devo (re) começar?”. Toda grande mudança começa dentro. Assim, não adianta procurar culpados ou justificativas para o que aconteceu, portanto, o momento agora é de refletir sobre as perguntas certas, doa o que doer:

– O que você deixou de fazer no trabalho que poderia ter feito?

– Que resultados você deixou de entregar?

– Como era o seu relacionamento com os seus pares, com os seus superiores e com seus subordinados?

– O que você poderia ter feito melhor ainda?

Sei que são inúmeras as perguntas, e bem difíceis, pois geram desconforto e alguma dor, no entanto, admitir e reconhecer as suas falhas é a primeira e talvez a mais importante medida para o seu amadurecimento profissional, obviamente que essa reflexão não tem o menor propósito de lhe deprimir, pense que a empresa pode ter-lhe feito até mesmo “um favor” e nem você, tampouco eles, sabem disso.

No mais, compreenda que a primeira e melhor coisa que você faz por você é refletir, admitir e aprender, pergunte-se: Se eu pudesse voltar no tempo e fazer algo diferente no meu trabalho, o que eu faria? A resposta a essa e às demais perguntas de maneira franca, transparente, sem subterfúgios, fantasias ou ilusões certamente lhe darão mais segurança, que, aliada à sua inteligência, competência e simpatia o levarão a posições até mais elevadas em futuros empregos.

Gostou do tema? Passou por alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

O ano novo não é amanhã, é hoje! Feliz você, hoje!

Hoje é o último dia do ano, momento em que fazemos um balanço do que passou e projetamos o que está por vir, é o dia em que ficamos mais sensíveis, afloram as emoções, a esperança em um mundo melhor, mais justo, mais humano, com saúde, segurança e paz. Um mundo menos egoísta, corrupto, inescrupuloso, cruel e indiferente em relação aos menos favorecidos. Tudo bem, isso é o que sonhamos, mas é apenas um sonho, um desejo, afinal, que controle nós temos sobre essa política que aí se encontra? Sobre os senhores da guerra? sobre as políticas sócio-econômicas? Absolutamente nenhum! Portanto, experimente olhar um pouco atrás, no dia 31/12/2016 e responda: O que você diria a si, se pudesse enviar uma mensagem para você no ano passado? Ou talvez há 5 anos? Ou quem sabe até há 10 anos?

Provavelmente diria que precisa promover mudanças em áreas específicas da sua vida, talvez se aperfeiçoar numa determinada atividade, interessar-se mais pelas questões ligadas ao mercado em que atua, ajustar-se a determinadas culturas ou moldar-se a um mentor ou profissional que admira e respeita.

Talvez dissesse para ir atrás dos seus maiores sonhos, tapando os ouvidos para aquelas vozes internas que insistem em lhe convencer e lembra-lo de que “você é inadequado e incapaz”, as mesmas vozes que o deixam com uma tremenda ansiedade em relação ao futuro e que o impedem de focar toda a sua atenção naquilo que realmente importa, naquilo que faz o seu coração vibrar.

Possivelmente, diria ainda, para não deixar as coisas para última hora, pois esse comodismo, além de perda de tempo com coisas irrelevantes que o atrasam e o impedem de seguir adiante e crescer, causam apenas stress e o colocam cada vez mais numa zona de conforto adiando a realização dos seus maiores sonhos, depois não adianta dizer que o seu tempo já passou ou que está velho demais para fazer tal coisa, pois isso não é verdade! O seu tempo de realizar não está no ontem nem no amanhã, mas no agora!

Portanto, levante-se dessa cama, desligue a TV, o celular ou tudo aquilo que desvia a sua atenção e o impede de focar e se jogue na busca pela realização dos seus maiores sonhos, agora é a hora: Comece um negócio novo, faça um novo vestibular, planeje aquele intercâmbio, viva intensamente um novo romance, divirta-se, aventure-se e pare de se lamentar pela viagem que você não fez, pelas férias que você não tirou, pelas oportunidades que você deixou passar no ano que está terminando. Agora, é o melhor momento para você se perdoar pelas suas falhas cometidas, pelos fracassos, momentos trágicos ou decepções vividas e pelas promessas não cumpridas.

Quantas vezes fantasiamos que as coisas não vão dar certo? Que no próximo ano tudo será igual e que nada vai mudar e sofremos em silêncio, alimentando expectativas irreais ou memórias ruins do que já passou e esquecemos do rico aprendizado que ficou? Agora é o melhor momento para romper com todo o nosso caos interno e domar as nossas maiores sombras deixando para trás toda a dúvida e negatividade em relação a nossa própria capacidade.

No entanto, pera lá, se podemos imaginar um mundo de fracasso, também podemos fantasiar que tudo vai funcionar exatamente como o planejado. Portanto, pense grande e não permita que nada o desanime. Provavelmente você será traído, ou experimentará contratempos, talvez você ou alguém que ame adoeça ou talvez até viva algumas perdas, mas, quando temos um foco bem definido naquilo que queremos, com coragem e determinação obtemos os resultados mais incríveis e surpreendentes, para isso, pergunte-se: Quais são os seus principais motivos para ir atrás daquilo o que sempre sonhou?

Certamente você encontrará motivos muito mais fortes e nobres do que se comparar com a vida dos outros, querendo vive-las, mas você não sabe o que ele(a) passou para chegar onde chegou, nem para construir o seu castelo, ele pode ser de areia. Portanto, não deseje o que não lhe pertence, a sua vida, o seu sonho, a sua luta e o seu desempenho, estes sim, são apenas seus! Então, viva a sua vida, corra atrás dos seus sonhos: Hoje, não amanhã! E assim, você vai fazendo o seu ano novo, dia após dia.

Portanto, abra-se para receber todas as maravilhosas possibilidades e sonhos que estão por vir, acalme seus pensamentos (isso é treino), viva intensamente toda a paz e o amor que habita em você, cultive apenas os bons sentimentos, aprecie a beleza nas pequenas coisas e outras pessoas, emocione-se a cada conquista, por menor que seja, encontre o motivo principal que faz os seus olhos brilharem e o seu coração bater mais forte. Propague a esperança, o bom humor e celebre o seu sucesso e a sua prosperidade, bem como dos outros, e lembre-se: Você tem o poder, a força, o controle sobre si mesmo e sabe exatamente o que quer, portanto, desistir, jamais! FELIZ ANO NOVO!

Gostou do tema? Passou por alguma experiência de natal diferente? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.