Iniciando a carreira como coach? Veja algumas dicas valiosas

Muitas pessoas que fazem minhas formações têm o intuito de seguirem a carreira de coach, e normalmente me procuram com algumas dúvidas sobre: abordagem inicial, medo de errar, valor a ser cobrado e como iniciar tudo isso. Então, vamos às respostas:

Como abordar grupos específicos?

Desenvolver o coaching em qualquer segmento que seja é uma dádiva e requer muita aplicação, empenho, dedicação, criatividade e uma boa dose de interesse pelos resultados do outro. E isso vale para os surdos, para a melhor idade e para qualquer outro seguimento com o qual queira trabalhar. A boa notícia é que os princípios do coaching são os mesmos em todos os casos, variando apenas a forma de comunicar, por se tratar de públicos distintos que apresentam necessidades peculiares.

Quanto a alguns temores que se apresentam no início, é importante compreender o seguinte:

Insegurança e medo por falhar na hora do atendimento:

Você conhece alguém que nunca tenha errado na vida? Você acredita mesmo que os artistas de teatro sobem ao palco sem esse receio? E no entanto eles desistem da estréia? O que de pior pode acontecer se você “falhar” ao aplicar uma técnica ou em uma pergunta por assim dizer? O erro faz parte da vida e tem um dito que ouvi há muitos anos que jamais esqueci: “Só não erra quem não faz”, então, importante é fazer, o erro virá naturalmente, mas acredite que a sua capacidade de corrigi-lo e contorná-lo é muito maior por conta dos recursos que você tem à sua disposição, e lembre-se ainda que é o FAZER que o conduzirá à excelência em seus resultados, pouco-a-pouco, dia-após-dia, sempre um passo após o outro. Talvez nos primeiros atendimentos você se sinta mais nervoso e um tanto inseguro, porém, esse nervosismo, além de natural, é perfeitamente necessário para os demais atendimentos. Além do mais, como eu digo em minhas palestras, o dia que eu não me sentir nervoso antes de começar a falar para o público eu realmente ficarei muito preocupado, pois é ele me mantém com os dois pés no chão, que asseguram a minha humildade em reconhecer um erro ou mesmo que eu não domino tudo e isso me dá o suporte que eu preciso como forma de respeito ao público que dedica o seu tempo em me assistir. Da mesma forma, a sua intenção de “jamais errar”, já é o suficiente para lidar com o seu cliente de maneira assertiva e responsável.

Não fazer idéia do valor a ser cobrado:

No que diz respeito ao valor do seu trabalho, é importante ser coerente com a renda média do seu público-alvo e com o valor que você pode agregar ao trabalho que você oferece. O importante é agregar tanto valor ao seu trabalho que o seu cliente perceba que está pagando pouco pelo que está recebendo, independente do valor que ele estiver pagando. E isso só será possível, fazendo, atendendo! Pode negociar um valor percentual em relação aos resultados obtidos? E por que não? Enfim, pelo investimento que você fez em sua formação de coaching, dentre outras, sinta-se à vontade para cobrar e receba, você pode!

Não saber começar a trabalhar com o Coaching:

Que tal começar definindo apenas um público para atender? Onde está esse seu público? Qual a renda média dessas pessoas para ajustar o valor a ser cobrado? Qual a necessidade dessas pessoas no geral para que você possa oferecer algo que vá ao encontro das suas necessidades vitais? Qual o melhor canal de divulgação para chegar até eles? Como aborda-los quando gerar uma demanda expontânea? Qual a principal necessidade de cada um desses clientes para definir o objetivo final do coaching a ser atingido? Quais as ferramentas que poderão ser melhor utilizadas com o cliente em questão para que ele atinja os seus resultados no menor espaço de tempo possível?

E, porfim, você traçou um objetivo e compartilhou com as demais pessoas, você está trabalhando para ir ao encontro desses objetivos, porém se não conseguir? Ah! novamente o medo de não dar certo! Imagine só, encare isso como um jogo, uma partida que tem um tempo específico, você sabe que precisa do resultado e você está se empenhando para isso. Tenho certeza absoluta que o público gosta mesmo é de garra, de luta, de empenho e dedicação, portanto, se houver tudo isso, ainda que não venham os resultados esperados, você receberá aplausos e a admiração das pessoas, por outro lado, se você se acomodar e ficar em “seu cantinho” se vitimizando, além de ter o seu resultado mais distante, você não terá o mesmo reconhecimento com o qual já demonstrou que tanto se preocupa. Então, só lhe resta uma alternativa: Ir com tudo pra cima! Venha o que vier, haja o que houver, FAÇA ACONTECER!

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Sobre o Autor

Nelson Vieira, sou Advanced Coach Senior e Master Coach Trainer, certificado por diversas instituições internacionais ao redor do mundo, tendo formado aproximadamente 5 mil coaches pelo Brasil. Para conhecer mais acesse: www.nelsonvieira.com.br

Deixe um comentário 0 comentários

Deixe um comentário:







Scroll Up