O medo me atrapalha: O que devo fazer?

Levante o braço quem nunca sentiu medo de algo na vida? Eu mesmo tenho vários: Quando criança tinha medo do escuro, de fantasma, de monstros cruéis e sanguinários dos filmes de ação e alguns que perduram até os dias atuais como o medo da violência e o maior de todos, medo de altura. Curiosamente, não tenho medo de voar, a bordo de uma aeronave, normalmente, salvo com raras excessões, me sinto totalmente seguro e protegido, por outro lado, ficar na sacada de um prédio, fazer escalada, praticar tirolesa, body jump em grandes altitudes ou mesmo saltar de paraquedas me causam calafrio só de pensar e são, por isso mesmo, desafios a serem, por mim, superados.

Agora perceba, quantos não se sentem assim na busca para a realização de seus maiores sonhos encarando desafios como: falar em público, fazer um teste de audição para algum concurso musical, apresentar um projeto, desenvolver uma conversa interessante para conquistar a musa dos seus sonhos, lançar um vídeo no youtube, dirigir ou talvez, abrir um novo negócio? Lógico, todas são situações que causam um certo frio na espinha e dão algum temor? Sim! Mas, o que de pior pode acontecer nessas situações? Você tem medo de que exatamente?

Pesquisas revelam que as pessoas desenvolvem dois grandes temores, que os fazem esquecer até mesmo a própria morte, são: O medo do fracasso, por conta do sentimento de frustração e incompetência, da baixa auto-estima, do julgamento alheio ou de ser ridicularizado e o medo da rejeição, que leva as pessoas a solidão, a falta de respeito e de admiração e, em ambos os casos, as pessoas têm medo mesmo de serem desprestigiadas, esquecidas e excluídas de um determinado grupo social do qual façam parte, por isso, “melhor nem arriscar”, só que, mal sabem, mas, ao evitar o risco, estão, na verdade, atraíndo tudo aquilo que mais temem pela sua insignificância para esse mesmo grupo.

Importante compreender que o medo é saudável, pois ele constitui uma das emoções básicas do Ser Humano, assim como a alegria, a tristeza, a raiva e o afeto, portanto, já vem “implantado no nosso chip” desde a nossa concepção, ele serve como um sinal de alerta, para nos avisar que existe uma situação de perigo iminente, portanto, não pode nos paralisar, pois, quando isso acontece, já evoluíu para uma fobia ou pânico, o que não é mais saudável, sendo necessário um tratamento com profissioanis especializados, normalmente com o uso de medicamentos, devidamente receitado por um psiquiatra e um acompanhamento terapeutico realizado por um psicólogo.

Assim, não tome o medo como um adversário, jamais tente enfrentá-lo, pois ele vai crescer assustadoramente, tome-o como um parceiro, que o mantem em constante estado de alerta, que o torna mais cauteloso e obediente às leis, normas e procedimentos, quer ver só? Então me responda uma coisa: Por que existem mais acidentes terrestres do que aéreos? Por que o cara cai da moto? No geral, porque as pessoas perdem o respeito pela máquina.

Ora, sabe-se que o avião é o segundo meio de transporte mais seguro do mundo, estatisticamente falando, perde somente para o elevador que há menos casos de acidentes e consequentemente menos vítimas do que os acidentes aéreos, no entanto, voar de avião hoje é muito seguro porque existe um conjunto de normas e procedimentos da ANAC que deve ser obedecido, assim como um check list de funcionamento dos equipamentos e instrumentos de vôo.

Mesmo assim, com todo esse cuidado, sabe-se que ninguém está livre de uma “pane”, um evento natural ou mesmo de um erro humano, mas certamente minimizam bastante os riscos por conta dos procedimentos de segurança e controle, o que não acontece com os veículos terrestres, que, talvez por estarem em solo, tem as regras de trânsito e checagem de itens básicos de segurança constantemente negligenciados, daí os altos índices de acidentes nas vias públicas e estradas de todo o mundo. Então, qual a principal diferença entre as duas situações e o que mantém as aeronaves no topo da lista dos meios de transporte mais seguros? Pasme, mas é exatamente o medo!

Os pilotos, a tripulação e mesmo os passageiros sabem que embora seja muito raro acontecer um acidente aéreo, quando ocorre, normalmente é fatal e dificilmente alguém escapa ileso, portanto, o excesso de zelo às normas de segurança nunca são demais, pois, acredita-se que, via de regra, o medo é a garantia maior de sobrevivência de todos que estão a bordo.

Abaixo compartilho uma boa estratégia para lidar com o medo. Responda as seguintes questões:

  • O que me faz sentir medo?
  • Que mal isto pode me causar?
  • Eu preciso superar esse medo? Por que?
  • Que sentimentos e sensações internas eu experimentarei ao vencer essa barreira?

Por fim, como vimos anteriormente, o medo é seu maior amigo e companheiro em uma jornada, ele tem a função de assegurar a sua sobrevivência e a sua integridade física e psicológica, no entanto, se ele estiver lhe paralisando, existe algo mais profundo que precisa de um olhar muito mais atento, como um conjunto de crenças limitantes que podem leva-lo à ansiedade e/ou à depressão e consequentemente o levam a uma imobilidade e estado de letargia atroz. Se isto estiver acontecendo, peça ajuda, GRITE!

Compartilhe sua reflexão comigo e se você tiver alguma dúvida ou quiser saber mais sobre esse e outros assuntos e quiser vê-los respondidos por aqui, mande um e-mail para: fale@cibracoaching.com.br.

Sobre o Autor

Nelson Vieira, sou Advanced Coach Senior e Master Coach Trainer, certificado por diversas instituições internacionais ao redor do mundo, tendo formado aproximadamente 5 mil coaches pelo Brasil. Para conhecer mais acesse: www.nelsonvieira.com.br

Deixe um comentário 0 comentários

Deixe um comentário:







Scroll Up