Pais conscientes criam filhos bem sucedidos

Ontem comemoramos mais um dia dos pais e muitos, assim como eu, se perguntam que mundo nossos filhos herdarão no futuro, na verdade, a questão nem é tanto essa, mas, será que os nossos filhos estão realmente preparados para o novo mercado de trabalho, para os novos desafios, para esse novo contexto social cada dia mais virtual do que real? São perguntas que normalmente fazemos, mas a verdade é que ninguém sabe ao certo o que o futuro nos reserva, mas diante de tudo isso, temos uma irrefutável certeza: “As sementes que plantamos hoje impactarão significativamente nas gerações futuras” e, partindo desse princípio, teoricamente, cada qual só pode oferecer aquilo que recebeu da vida. Desse modo, nem tanto lá, nem tanto cá, mas buscar o equilíbrio é fundamental e, em se tratando de educar os filhos, extremamente necessário.

Assim, minha homenagem hoje é para esses heróis de carne e osso. Você: Pai! Não importa a sua cor, estatura, religião, hábitos, comportamento ou personalidade, e aqui incluo aquelas mães que também são pais, que lutam dia após dia como leoas para garantir moradia, saúde, segurança, educação e lazer para as suas crias. Então, como pai de três, deixo aqui a minha singela contribuição para que possamos criar filhos cada vez mais assertivos, seguros, responsáveis e conscientes, para isso, nós, pais precisamos aprender, desenvolver e ensiná-los a:

– Assumirem a responsabilidade: Quanto mais cedo os nossos filhos descobrirem que a vida é feita de escolhas, melhor, portanto, quanto antes aprenderem a reconhecer as suas falhas, mais livres e preparados estarão para obter melhores resultados ainda na fase escolar, sabendo que, se ele escolheu jogar videogame ao invés de estudar a matéria, fatalmente terá uma consequência, que poderá ser uma nota ruim e posteriormente uma recuperação (momento detestável) ou até mesmo uma possível reprovação. E detalhe, não foi o professor que deu nota vermelha, ele tirou como consequência de suas escolhas. Portanto, se ele aprender enquanto criança que os seus resultados dependem somente dele e obtiver bons rendimentos, a consequência será: O reconhecimento, as férias, poder jogar videogame tranquilamente nas horas de folga, enfim, tudo isso para citar apenas um exemplo, que pode se estender para várias outras coisas que vão desde lavar o prato que come até manter o seu quarto limpo e organizado.

– Cidadania e solidariedade: Ensinar boas maneiras na vida em sociedade também é fundamental, interessante é que nós, adultos, somos espelhos para os pequeninos, pois somos as figuras mais próximas, que, instintivamente a criança entende como o seu protetor, antes mesmo de ter a noção de “pai”, portanto, somos a pessoa em quem confiam e, como se não bastasse a carga genética herdada e da qual jamais conseguirão se desvencilhar, os nossos hábitos e comportamentos também moldam o seu caráter e a sua personalidade. Então, se elas “escaneiam” tudo o que fazemos, é muito importante que presenciem os nossos melhores hábitos, pois acredite, serão copiados! Então jogue um papelzinho que seja no lixo, evite atitudes grosseiras e hábitos nocivos, como dividir a atenção do filho com o celular ou com a televisão, por exemplo. Ensine-os desde cedo a ajudar os colegas em dificuldade e a compartilhar informações úteis, certamente no futuro, esse hábito o ajudará a estabelecer um bom network e a ser um profissional muito mais competente, dedicado, comprometido e cobiçado pelo mercado.

– Estabelecerem objetivos: O seu filho também quer aquele iPhone de última geração que acabou de ser lançado? Ele sabe quanto custa? Pois é, tudo o que mais queremos é ver nossos filhos felizes e satisfeitos, então, podendo, intuitivamente, vamos lá e páh! Eis que compramos, afinal, que mal há?! Não é mesmo? Aí é que está, um ato aparentemente inofensivo pode gerar consequências irreversíveis. Desse modo, caro pai, ao invés de dar simplesmente o que a criança quer, que tal mostrar o real valor do objeto e ajuda-lo a imaginar o que daria para comprar com aquilo tudo, assim você estará ensinando matemática e finanças. E se ainda assim ele optar pelo objeto? Muito bem! É uma excelente oportunidade para ensinar uma estratégia inteligente para concretizar seus sonhos e desejos e a não desistirem até realiza-los. E lembre-se: Frustração não mata, pelo contrário, ensina! O que mata mesmo, é não saber lidar com a frustração e com a incerteza quando adulto.

– Gratidão: Você é do tipo que reclama demais de tudo todo dia? Hum, sei! Que herança essa criança irá herdar na fase adulta né? Ninguém merece! Então está na hora de ressignificar isso: Pai, é importante compreender que os ciclos precisam terminar para iniciar outro, mudanças fazem parte desse cotidiano que vivemos e o pior é que, a criança, desenvolve o hábito de reclamar sem que percebamos, começa pelo quarto sujo e bagunçado, que ele deixou, o colchão que é duro, a mochila que não é grande, bonita ou com divisórias suficientes, pronto, o dano está feito! Desse modo, que tal então ao invés de reclamar pelas coisas que deram errado, começar a agradecer pelas que deram certo? Ensine-os a agradecer por ter um teto, uma cama confortável, um lençol quentinho, a possibilidade de estudar. Com certeza, no futuro, ele irá lidar de maneira mais segura e confiante com as situações adversas.

Gostou do tema? Tem alguma experiência parecida? Compartilhe comigo, terei o maior prazer em conhecer a sua história e quem sabe, contribuir com outras pessoa que têm as mesmas dificuldades, envie suas dúvidas, sugestões, sua opinião para o whatsapp (011) 99546 8145 ou mande um e-mail para fale@cibracoaching.com.br. Você poderá fazer parte do nossa próxima edição.

Sobre o Autor

Nelson Vieira, sou Advanced Coach Senior e Master Coach Trainer, certificado por diversas instituições internacionais ao redor do mundo, tendo formado aproximadamente 5 mil coaches pelo Brasil. Para conhecer mais acesse: www.nelsonvieira.com.br

Deixe um comentário 0 comentários

Deixe um comentário:







Scroll Up